Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Venezuela: Governo espera que Quénia esclareça homicídio de embaixadora em Nairóbi

Lusa

  • 333

Caracas, 28 jul (Lusa) - O governo venezuelano lamentou hoje a morte "em circunstâncias violentas" da embaixadora venezuelana no Quénia, Olga Fonseca, 57 anos, encontrada morta na sua residência em Nairóbi, e espera que as autoridades daquele país esclareçam o homicídio.

"O Governo Bolivariano da Venezuela confia nas averiguações penais e criminalísticas das autoridades da República do Quénia para esclarecer e estabelecer as responsabilidades sobre a morte da chefe de missão Olga Fonseca e oferece toda a colaboração que lhe seja requerida", indica um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros venezuelano.

No documento, o governo expressa ainda "o mais sentido pesar" pela morte de Olga Fonseca "em circunstâncias violentas que estão a ser investigadas pelas autoridades competentes do referido país", realçando-se a "brilhante" carreira da diplomata que se destacou se nos últimos anos como diretora de política e cooperação do gabinete do vice-ministério para África.