Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

UGT aponta fevereiro como limite para entendimento com Governo sobre redução das compensações

Lusa

  • 333

Lisboa, 17 jan (Lusa) -- O mês de fevereiro foi hoje apontado pela UGT como o limite para um entendimento com o Governo relativamente à redução das indemnizações por despedimento, sob pena de denúncia do acordo de concertação social.

"Hoje estamos num momento de tudo ou nada. O Governo apresentou uma proposta de lei sobre as compensações que viola gravemente o conteúdo do acordo tripartido", afirmou João Proença em conferência de imprensa.

O secretário-geral da UGT considera que a proposta de lei do Governo, que deu entrada na Assembleia da República em janeiro viola o "Compromisso para o Crescimento, Competitividade e Emprego", alcançado há um ano, "em três pontos essenciais, nomeadamente, quanto ao valor das compensações -- 12 dias não é a média da União Europeia -, a criação de um Fundo de Compensação em caso de despedimento e a simultaneidade da sua entrada em vigor".