Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

UE/Cimeira: "Prefiro que não haja acordo a um que não permita satisfazer as nossas possibilidades" -- Passos

Lusa

  • 333

Lisboa, 21 nov (Lusa)- O primeiro-ministro, Passos Coelho, disse hoje preferir que "não haja acordo" relativamente aos fundos comunitários do que haja um "que não permita satisfazer as possibilidades" portuguesas, sublinhando que terá uma posição "realista" e "firme".

As palavras do chefe do Governo foram proferidas durante o debate no Parlamento, depois de a deputada do PEV, Heloísa Apolónia, o ter acusado de já ter "fragilizado" a sua posição quando "ainda não chegou à porta do Conselho Europeu".

"O senhor primeiro-ministro está a dizer a alto e bom som, para que toda a gente na União Europeia ouça, que a proposta de redução do quadro financeiro no período 2014-2020 é uma boa base de trabalho, o que significa que é aceitável, mas isso representa uma redução da capacidade do investimento dos Estados e principalmente dos mais fragilizados, como o nosso", criticou a deputada ecologista.