Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Tradição do Dia dos Finados é mantida também pelos emigrantes

Lusa

  • 333

Luxemburgo, 29 out (Lusa) -- A memória dos familiares falecidos no Dia de Todos os Santos em Portugal é também partilhada por muitos emigrantes, que visitam as campas familiares por esta altura e asseguram que querem ser enterrados no país onde nasceram.

"Só não vim um ano porque o meu patrão não me deu férias nessa altura. Fiquei revoltada, mas agora, felizmente, tenho conseguido vir sempre", afirmou Irene Venâncio, ajudante de cozinha, a viver no Luxemburgo há 23 anos, e que, todos os anos, visita o cemitério de Matas do Louriçal, concelho da Figueira da Foz.

O filho morreu em 2002 no Luxemburgo, vítima de cancro, mas a família decidiu sepultá-lo em Portugal, "a terra que o viu nascer", até porque tinham "em mente regressar". Hoje já com uma neta nascida no Luxemburgo, admitem que lhes custa estar longe do cemitério onde o filho foi sepultado.