Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Trabalhadores de têxtil e calçado querem salário mínimo de 600 euros em 2016

Lusa

  • 333

Porto, 21 fev (Lusa) -- Os trabalhadores dos setores têxtil, vestuário e calçado querem lutar para que dentro de três anos o salário mínimo setorial seja de 600 euros, de acordo com as reivindicações hoje apresentadas em congresso pela FESETE.

No programa de ação para 2013-2016, a Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores Têxteis, Lanifícios, Vestuário, Calçado e Peles de Portugal (FESETE), define como uma das orientações para os próximos anos "lutar pela melhoria dos salários reais dos trabalhadores, afastando-os significativamente do Salário Mínimo Nacional na perspetiva de uma maior justiça social, tendo em conta os ganhos de produtividades nos setores e a aproximação progressiva aos salários da União Europeia".

Para além do objetivo dos 600 euros em 2016, a FESETE reivindica a redução do horário de trabalho para as 35 horas semanais.