Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Testemunha organizou conta-corrente de Vale e Azevedo sem saber se movimentos eram do Benfica

Lusa

  • 333

Lisboa, 05 mar (Lusa) - Um testemunha de acusação no julgamento, em que é acusado Vale e Azevedo de peculato ao Benfica, confirmou hoje, em tribunal, que organizou a conta-corrente do então presidente do clube, sem saber se os movimentos financeiros eram do Benfica.

Na nona sessão do julgamento, a decorrer na 3.ª Vara Criminal de Lisboa, o economista António Catalão disse que Vale e Azevedo, presidente do Benfica de 1997 a 2000, lhe pediu para elaborar a conta-corrente, mas sem que fosse confrontado com "os documentos de suporte".

"A única coisa que ele me disse foi que tinha aqueles ficheiros desorganizados e que os queria organizar de um modo mais sistematizado. Não faço ideia qual era o objetivo de Vale e Azevedo. A preocupação não era certificar-me se os débitos eram ou não do Benfica", referiu António Catalão.