Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

TAP promete resultados "equilibrados" mesmo com crise e privatização

Lusa

  • 333

Rio de Janeiro, 25 out (Lusa) - O vice-presidente da companhia aérea TAP, Luiz da Gama Mór, admitiu hoje que "uma série de condicionantes" ligadas ao processo de privatização e à crise em Portugal "dificultam" mas não impedirão um bom desempenho da empresa.

"Existe um conjunto de condicionantes em relação à TAP - por causa da privatização e por causa da crise económica em Portugal e das exigências feitas às empresas públicas - isso dificulta um pouco, mas não tem impedido a TAP de ter um bom desempenho", afirmou Luiz da Gama Mór, em conferência de imprensa, no Rio de Janeiro.

Sem adiantar valores, o gestor explicou que a empresa registou um de seus melhores resultados para um terceiro trimestre este ano e avançou que a previsão é de que, até o final do ano, a TAP seja capaz de, pelo menos, "equilibrar" as contas, após o prejuízo do primeiro semestre.