Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Suíça congelou cerca de 800 milhões de euros após a Primavera Árabe

Lusa

  • 333

Genebra, 18 dez (Lusa) -- A Suíça reteve após as revoluções da primavera árabe cerca de mil milhões de francos suíços (800 milhões de euros) em contas bancárias relacionadas com antigos líderes autocráticos, informou hoje o ministério suíço dos Negócios Estrangeiros.

O Governo suíço reteve fundos conotados com o antigo ditador tunisino Zine el Abidine Ben Ali desde a sua fuga do país para a Arábia Saudita em janeiro de 2011, e com o ex-Presidente egípcio Hosni Mubarak, afastado do poder em fevereiro do mesmo ano, referiu Valentin Zellweger, diretor do departamento de lei internacional do ministério.

A Suíça bloqueou cerca de 700 milhões de francos suíços de contas do Egito e 60 milhões de depósitos da Tunísia, e está atualmente em contacto com as autoridades dos dois países para encontrar uma forma de devolver os fundos aos povos egípcio e tunisino, acrescentou ainda Zellweger.