Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Suécia: Assange quer garantias de que não será extraditado para os EUA

Lusa

  • 333

Sidney, 25 jun (Lusa) -- O fundador do WikiLeaks Julian Assange diz estar pronto para partir para a Suécia, mas quer garantias diplomáticas de que não será extraditado para os Estados Unidos, onde poderá enfrentar acusações de espionagem.

"Em última análise, pode ser uma questão sobre quais as garantias que o Reino Unido, Estados Unidos e a Suécia estão dispostos a dar", disse Assange em declarações ao jornal "Sydney Morning Herald" a partir da embaixada do Equador em Londres, onde pediu asilo há uma semana para evitar a extradição para a Suécia.

O australiano, de 40 anos, disse estar preparado para ir para a Suécia e enfrentar as acusações de agressão sexual de que é alvo, mas receia que Estocolmo o extradite para os EUA, onde pode enfrentar acusações de espionagem e conspiração devido à publicação pelo WikiLeaks de documentos secretos norte-americanos.