Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Solução política depende do fim da "conspiração internacional" que financia os "terroristas" - Presidente da Síria

Lusa

  • 333

Damasco, 06 jan (Lusa) -- O Presidente sírio, Bashar al-Assad, apresentou hoje um plano para acabar com o conflito no país, no qual admite realizar reformas políticas, mas condiciona-o ao fim da "conspiração internacional" que financia os "terroristas".

Um futuro "acordo político" para acabar com a sangrenta guerra civil que dura há quase dois anos está previamente condicionado ao fim da "conspiração internacional" orquestrada por países ocidentais e árabes que têm financiado os "terroristas", nomeadamente com armas, afirmou Bashar al-Assad, no primeiro discurso público à nação em meio ano.

Na Casa da Cultura e das Artes, em Damasco, repleta de apoiantes que se levantaram frequentemente, batendo palmas e de punhos erguidos, Bashar al-Assad, que governa desde 2000, adiantou que, cessadas aquelas atividades "terroristas", está pronto para ordenar o fim das operações militares do exército sírio e iniciar um "diálogo nacional" que conduza a uma nova Constituição e a eleições para um novo governo.