Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Sobrevivência do estado social depende de "encarar a velhice de forma diferente" -- Pedro Pita Barros

Lusa

  • 333

Lisboa, 10 dez (Lusa) - A sobrevivência do estado social vai depender de "como é que a sociedade lida com uma população mais envelhecida, mas mais capaz", considerou hoje o economista Pedro Pita Barros.

"Quantas pessoas aqui pensam chegar aos 65 anos e mudar-se para um banco de jardim para jogar cartas?", perguntou Pita Barros à audiência de um colóquio sobre "Sustentabilidade do estado social" na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

O economista recordou que, quando a Alemanha de Bismarck criou um sistema de segurança social, a esperança média de vida dos alemães estava nos 60 anos. Atualidade, os portugueses que cheguem aos 65 anos "podem esperar viver mais 20".