Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Sindicato luxemburguês acusa empresa portuguesa Açomonta de praticar "escravatura moderna"

Lusa

  • 333

Luxemburgo, 19 mar (Lusa) - O sindicato luxemburguês OGB-L acusou hoje a empresa portuguesa Açomonta de praticar "escravatura moderna", recrutando trabalhadores portugueses por 300 a 700 euros/mês, alguns a trabalhar "sete dias por semana" e "mais de dez horas por dia".

"A Açomonta recorre a uma multitude de subempreiteiros. Estas empresas enviam os trabalhadores com residência em Portugal para o Luxemburgo, por conta da Açomonta, que os recebe e se encarrega da sua gestão nos estaleiros de construção", acusou o sindicato luxemburguês, em comunicado.

No documento, a central sindical descreveu em pormenor várias práticas da empresa portuguesa, cuja filial no Luxemburgo tem sede em Differdange, que violam as regras do destacamento europeu, incluindo pagamento de salários inferiores ao que prevê a lei e horas de trabalho que não respeitam "o repouso obrigatório".