Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Sindicato e administração do Metro Sul do Tejo continuam a divergir no balanço da greve parcial

Lusa

  • 333

Almada, 05 fev (Lusa) -- Ao segundo dia da greve parcial de maquinistas do Metro Sul do Tejo, o sindicato representativo dos trabalhadores diz que 30% a 40% das ligações estiveram hoje paradas, enquanto a empresa afirma novamente que a circulação não foi afetada.

"Tal como na véspera, a greve nos primeiros dois períodos de hoje afetou cerca de 30% a 40% da circulação. A empresa tem recorrido aos trabalhadores que estão de folga e outros prolongam o horário para tapar os buracos nos períodos de greve", disse à Lusa Cláudio Silva, do Sindicato dos Maquinistas.

Os maquinistas da empresa, que opera um metro de superfície nos concelhos de Almada e Seixal, defendem a negociação do acordo de empresa de modo a terem o pagamento de subsídios de transporte e de refeição e reclamam ainda alterações nas escalas de serviço e melhores condições de segurança.