Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Seiva Trupe interpõe providência cautelar e acusa Câmara do Porto de perseguição

Lusa

  • 333

Porto, 18 out (Lusa) -- A companhia teatral Seiva Trupe classificou hoje a desocupação do Teatro do Campo Alegre como o final de uma "perseguição política" pelo presidente da Câmara do Porto e disse ter interposto uma providência cautelar contra o ato.

Em conferência de imprensa à porta do edifício onde mantiveram uma residência desde 2000, o advogado da companhia de teatro, Eldad Manuel Neto, disse que tudo será feito "para resolver este problema nas instâncias judiciais", tendo, por isso, interposto junto do Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto uma providência cautelar já no dia 16 deste mês para suspender os efeitos de uma eventual desocupação coerciva, que veio a acontecer na madrugada de 16 para 17.

"A simples interposição desta ação suspende o ato administrativo [da desocupação]. No entanto, ela é decretada a 16 e a Câmara Municipal do Porto terá sido notificada na manhã do dia 17 de que se encontrava suspensa a execução deste ato. Da forma como souberam não sei, mas o certo é que, aproveitando-se do facto de não ter ainda sido citada pelo tribunal, na madrugada do dia 16 para o dia 17 vem aqui a Polícia Municipal proceder ao despejo, consumando pela calada da noite a desocupação coerciva das instalações da Seiva Trupe", declarou o advogado.