Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Saúde: Ministro garante que não há orientação de racionamento no setor (C/ÁUDI0)

Lusa

  • 333

Porto, 16 jun (Lusa) -- O ministro da Saúde contestou hoje o Relatório da Primavera do Observatório Português dos Sistemas de Saúde, garantindo que "não há qualquer orientação de racionamento" e apontou como exemplo a disponibilização do Tafamidis já no final do mês.

"O Observatório de Saúde diz que há indícios de racionamento derivado de um rigor e uma contenção de custos nas unidades. Nós discordamos porque não há qualquer orientação de racionamento", sustentou Paulo Macedo, acrescentando que "nem as direções clínicas, nem os próprios médicos o permitiram".

Falando no Porto, à margem de uma cerimónia no âmbito do Dia Nacional de Luta contra a Paramiloidose, que hoje se assinala, o ministro apontou, precisamente, como "prova" a disponibilização, através do Serviço Nacional de Saúde (SNS), do medicamento Tafamidis.