Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Santarém: Moita Flores pede suspensão do mandato alegando motivos de saúde e obrigações da vida literária

Lusa

  • 333

Santarém, 16 jul (Lusa) -- O presidente da Câmara Municipal de Santarém, Francisco Moita Flores, pediu hoje a suspensão do mandato por três meses, alegando motivos de saúde e obrigações da sua vida literária.

O pedido de suspensão contou com a abstenção dos dois vereadores eleitos pelo PS, que alegaram "respeitar" os motivos de saúde mas não compreender a invocação das obrigações da vida literária, uma vez que Moita Flores (independente eleito pelo PSD) sempre conciliou essa atividade com a de autarca ao longo dos últimos anos.

"O doutor Moita Flores já trocou Santarém por Oeiras. Não vamos deixar que nos deitem areia para os olhos, não somos pategos", afirmou o vereador socialista António Carmo, acusando o autarca de não só não ter resolvido os problemas de Santarém mas de os ter agravado, "duplicando a dívida de 50 milhões para 100 milhões de euros".