Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Saída de trabalhadores da Cimpor não cumpre garantias dadas - Comissão de Trabalhadores

Lusa

  • 333

Redação, 16 fev (Lusa) - A Comissão de Trabalhadores da Cimpor criticou na sexta-feira o grupo que detém a empresa por não ter cumprido a garantia dada, aquando da OPA, de que não haveria despedimentos, reagindo ao anúncio da saída de cerca de 150 funcionários.

A Cimpor anunciou hoje a saída de cerca de 150 trabalhadores, 90% dos quais com acesso a reformas antecipadas, justificando esta medida com uma quebra de vendas de 70% no mercado de cimento, entre 2001 e 2012.

Em declarações à agência Lusa, Fátima Messias, da Comissão de Trabalhadores da empresa, recordou que "quando foi a OPA [Oferta Pública de Aquisição] da Cimpor, em meados de 2012, foi garantido pelo grupo que passou a ter o domínio da Cimpor duas coisas: que o centro de decisão ficava em Portugal e que não haveria despedimentos".