Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Renault e sindicatos acordam 'congelamento' salarial e aumento do tempo de trabalho

Lusa

  • 333

Paris, 13 mar (Lusa) - O construtor de automóveis francês Renault anunciou hoje que chegou a acordo com os sindicatos para um aumento de 6,5% do tempo de trabalho, o 'congelamento' salarial durante este ano e o compromisso de não encerrar fábricas até 2016.

O chamado "contrato para uma nova dinâmica de crescimento e desenvolvimento social" foi assinado pelo presidente executivo da Renault, o brasileiro Carlos Ghosn, e as organizações sindicais CFDT, CFE-CGC e Força Trabalhadora.

A empresa propôs nas últimas negociações que os trabalhadores em França terão de passar a 1.603 horas de trabalho anuais, um aumento de 6,5% em relação à situação atual e vai começar a aplicar-se entre julho e setembro.