Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Relvas/Público: Deliberação é "inaceitável renúncia à obrigação de condenar ameaças" - Arons Carvalho

Lusa

  • 333

Lisboa, 20 jun (Lusa) -- A deliberação da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) que iliba o ministro Miguel Relvas de "pressões ilícitas" sobre o jornal Público é "uma inaceitável renúncia à obrigação de condenar ameaças", declarou o vice-presidente do regulador.

Alberto Arons de Carvalho foi um dos dois membros do conselho regulador da ERC que votou contra a deliberação relativa ao caso envolvendo o ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares e o Público.

A deliberação, aprovada pelos outros três membros do conselho, considera que "não se comprovaram as denúncias de que o ministro tenha ameaçado promover um 'blackout' informativo de todo o Governo em relação ao jornal e divulgar na Internet um dado da vida privada" de uma jornalista do Público, Maria José Oliveira.