Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Regime para travar práticas abusivas da distribuição terá "contraordenações muitíssimo elevadas" -- Assunção Cristas

Lusa

  • 333

Lisboa, 29 out (Lusa) - A ministra da Agricultura defendeu hoje que os consumidores não deixarão de beneficiar de promoções, mas, com um novo regime legal que inclui contraordenações "muitíssimo elevadas" para a distribuição, esses descontos deixarão de ser feitos à custa dos produtores.

"Creio que o consumidor pode ficar tranquilo, poderá beneficiar de promoções, que existirão sempre. Estas promoções têm que ser feitos numa lógica de política comercial e de 'marketing' das empresas que os fazem e não numa lógica de repercutir para trás, às vezes de forma retroativa, sobre a produção, aquilo que são descontos que não foram inicialmente acordados", afirmou Assunção Cristas.

A ministra que falava aos jornalistas, no Parlamento, confirmava uma notícia avançada pelo Jornal de Negócios, segundo a qual o Conselho de Ministros vai aprovar na próxima quarta-feira um novo diploma para travar as práticas abusivas e limitar as promoções no comércio, com o objetivo de zelar por uma relação "mais equilibrada" entre a produção e a indústria e distribuição.