Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Reclamada em tribunal lei que obrigue a montar grades mais altas nas pontes

Lusa

  • 333

Porto, 19 dez (Lusa) - Uma advogada defendeu hoje, no Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto (TAF-P), a revisão da legislação sobre os gradeamentos das pontes, por considerar que a altura atualmente exigível (1,10 metros) é insuficiente para evitar suicídios ou quedas.

"Provavelmente vamos ter que mexer na legislação", disse Sónia Pacheco.

"O valor primordial é a vida", acrescentou a causídica, que falava nas alegações finais de uma ação do seu cliente, Amadeu Nogueira, para obrigar a empresa Metro do Porto a dotar a ponte do Infante de vedações de altura suficiente para desencorajar o recurso àquela travessia do Douro para atos suicidários.