Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

PS não vai permitir o desmantelamento do Estado social, diz António Arnaut

Lusa

  • 333

Lisboa, 29 out (Lusa) -- O fundador do Serviço Nacional de Saúde (SNS) disse hoje que não está preocupado com o futuro do Estado Social, porque o Partido Socialista (PS) nunca concederá a maioria qualificada de dois terços no parlamento para o "desmantelar".

António Arnaut reagia assim, em declarações à agência Lusa, às declarações do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, o qual na sexta-feira disse, nas jornadas parlamentares conjuntas do PSD e CDS-PP, que até 2014 vai realizar-se uma reforma do Estado que constituirá "uma refundação do memorando de entendimento" e defendeu que o PS deve estar comprometido com esse processo.

"Vamos partir do princípio de que o senhor primeiro-ministro, que não é uma pessoa muito culta e que não sabe muito de História, como tem demonstrado, queria dizer que é preciso estabelecer novas cláusulas para o memorando da 'troika'. Vamos admitir que quer realmente uma revisão constitucional, ou quer reformular, descaracterizar ou desmantelar o Estado Social. Nesse aspeto estou tranquilo, porque para o efeito é necessária uma maioria qualificada de dois terços e o PS, como tem reafirmado várias vezes, vai opor-se a esse desmantelamento do Estado Social", afirmou António Arnaut.