Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Proposta do Governo para reduzir gastos na Administração Pública "é inegociável" - STE

Lusa

  • 333

Lisboa, 21 jan (Lusa) - O Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) informou hoje ter recebido indicações do Governo segundo as quais os cortes na Administração Pública sugeridos pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) são mesmo para avançar, algo que a estrutura sindical considera "inegociável".

"A maior parte destas questões são inegociáveis: colocar trabalhadores na prateleira é inegociável, aumentar o horário de trabalho sem mais, é inegociável, reduzir os salários dos trabalhadores a par daquilo que foi já a redução de 2011 e de 2012, é inegociável. Na prática, ninguém nos pode pedir para nos suicidarmos", disse aos jornalistas o dirigente do STE, Bettencourt Picanço.

Após um encontro de pouco mais de duas horas com o secretário de Estado da Administração Pública, Hélder Rosalino, Bettencourt Picanço revelou aos jornalistas que o governante terá "chamado à atenção" da estrutura sindical "para os compromissos que constam do documento da sexta avaliação da 'troika' e que apontam para a necessidade de o Governo rever nas suas diversas áreas, a redução da despesa e em função disso tomar as medidas adequadas".