Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Produtor norte-americano apoia exceção cultural para audiovisual e cinema europeus

Lusa

  • 333

Cannes, França, 20 mai (Lusa) - O produtor de cinema norte-americano Harvey Weinstein, um dos fundadores da empresa Miramax Films, defendeu hoje em Cannes que o setor audiovisual deve ficar de fora das negociações sobre comércio livre entre Estados Unidos e União Europeia.

O produtor, que distribui filmes estrangeiros no circuito comercial norte-americano, como o premiado filme francês "O Artista", juntou-se hoje a centenas de figuras do setor cultural europeu que apelo à exclusão do cinema e audiovisual das futuras negociações entre EUA e União Europeia sobre comércio.

"A exceção cultural encoraja os realizadores a fazerem filmes sobre a sua própria cultura", defendeu hoje Harvey Weinstein numa conferência em Cannes, à margem do festival francês de cinema.