Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Primeiro museu público de arte português sofre com poluição do túnel de Ceuta

Lusa

  • 333

Porto, 14 nov (Lusa) -- O Museu Nacional Soares dos Reis (MNSR), no Porto, fundado há 180 anos por D. Pedro no auge das guerras liberais, sofre hoje com as consequências da poluição provocada pelo túnel de Ceuta que desemboca mesmo à frente do museu.

A diretora do MNSR, Maria João Vasconcelos, afirma que quem chega ao Palácio das Carrancas, onde funciona o museu, "percebe facilmente o perigo que é principalmente para grupos de crianças, que são cerca de um quinto dos visitantes, não ter uma barreira e haver um túnel a 20 metros".

O túnel, que começa na rua de Ceuta, tem uma das suas saídas na rua D. Manuel II, mesmo frente ao museu, e as pequenas estruturas de metal que serviam de barreira estão parcialmente destruídas. A diretora lembra que ainda há bem pouco tempo prestou depoimento como testemunha no caso de atropelamento de uma voluntária do museu.