Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Presidente do BES considera caso de Chipre "inexplicável"

Lusa

  • 333

Lisboa, 17 abr (Lusa) -- A forma como os responsáveis europeus, sobretudo, o presidente do Eurogrupo, o holandês Jeroen Dijsselbloem, lidaram com a crise em Chipre foi hoje alvo de duras críticas por parte de Ricardo Salgado, presidente do Banco Espírito Santo (BES).

Questionado pelos jornalistas sobre as declarações de Angela Merkel, que na segunda-feira afirmou em Berlim que as elevadas taxas de juro praticadas na economia real em países como Portugal criam o risco de uma crise de crédito, atrasando a sua recuperação económica, Salgado concordou com a visão da governante alemã.

"Merkel tem toda a razão", sublinhou o líder do BES, acrescentando que "a descoordenação na Europa contribui para isso [aumento do risco de uma crise de crédito nos países mais fragilizados da Zona Euro]".