Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Presidente da Liga diz que Conselho de Arbitragem voltou aos "tempos da monarquia"

Lusa

  • 333

Lisboa, 16 out (Lusa) - O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Mário Figueiredo, criticou hoje o Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, referindo que o organismo é "pouco transparente" e que parece ter regressado aos "tempos da monarquia".

"O problema na arbitragem não está na profissionalização, mas na forma como é gerida. Em Portugal, a arbitragem parece viver em monarquia, num tempo feudal em que tudo é secreto, em que ninguém sabe como são feitas as avaliações e que resultados dão. É pouco transparente. As nomeações são feitas às escondidas, sempre em cima dos jogos e muitas vezes são incompreensíveis", afirmou Mário Figueiredo.

O presidente da Liga, que falava aos jornalistas à margem das Jornadas comemorativas dos 10 anos da Desporto&Direito - Revista Jurídica do Desporto, na Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa, referiu que existe na arbitragem uma "centralização do poder em uma ou duas pessoas" e que isso lhe faz "alguma confusão".