Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Presidente da Liga defende sustentabilidade para aplicar fair-play financeiro

Lusa

  • 333

Paço de Arcos, 26 mai (Lusa) - O presidente da Liga, Mário Figueiredo, afirmou hoje que só depois dos clubes de futebol terem condições para o aumento das receitas é que poderá aplicar as regras de fair-play financeiro exigidas pela UEFA.

O dirigente, que falava à margem do almoço de convívio entre os clubes presentes na final da Taça de Portugal, Benfica e Vitória de Guimarães, que hoje se realiza no Estádio Nacional, em Oeiras, lembrou que "não se pode matar o doente com a própria cura", frisando que irá apresentar "no início de junho um conjunto de medidas com vista a sustentabilidade do futebol".

"Estamos a trabalhar em dois cenários. Primeiro o aumento das receitas e o outro o equilíbrio financeiro dos clubes. Se neste momento adotássemos em Portugal, a todos os clubes da I e da II Liga, as regras do fair-play financeiro da UEFA provavelmente metade dos clubes não conseguia inscrever-se. Não podemos dar cabo de uma indústria que produz para o país 970 milhões de euros em 10 anos de um momento para o outro", alertou Mário Figueiredo.