Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Presidente da Confederação Económica de Moçambique preocupado com sequestros

Lusa

  • 333

Lisboa, 29 nov (Lusa) - O presidente da Confederação Económica de Moçambique, Salimo Abdula, afirmou hoje à Lusa que o país "não está em guerra", sublinhando que os conflitos violentos limitam-se "a um troço de 50 quilómetros na região central do país".

"A informação [veiculada pelos órgãos de comunicação social] é demasiado elevada para a realidade em Moçambique, porque o conflito está bem localizado num troço de 50 quilómetros na região central do país, que infelizmente tem sofrido alguns ataques pré-anunciados pela resistência, onde o Governo coloca uma patrulha para facilitar a circulação de bens e pessoas", disse o representante dos empresários moçambicanos.

O também presidente da Confederação Empresarial da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa vincou à Lusa, em Lisboa, que "o país não está em guerra", argumentando que "os membros da Renamo comparecem nas sessões do Parlamento, os críticos do Governo pronunciam-se livremente, e quando é assim, o país funciona, a democracia está instalada, se não pudessem falar é que era um problema".