Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Prémio Camões: "O sistema mundial tem que ser radicalmente questionado" - Mia Couto

Lusa

  • 333

Redação, 27 mai (Lusa) - O escritor moçambicano Mia Couto, que hoje venceu o Prémio Camões, considera necessário que se questione o sistema mundial e que o único caminho para que tal aconteça é a insubordinação, primeiro, em termos do espírito.

"As pessoas, acho que todas, se compenetraram, principalmente nos últimos anos, que isto não é uma crise localizada, não é uma falha, nem é um erro de um certo sistema, mas que é o próprio sistema que tem que ser radicalmente questionado", afirmou à agência Lusa Mia Couto, pouco tempo depois de saber que tinha vencido a 25.ª edição do Prémio Camões.

"Ou nós vamos melhorar a miséria, ou nós vamos resolver o mundo, a nossa vida e a nossa esperança. Portanto, acho que não há outro caminho que não seja a insubordinação", realçou.