Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Português foi instalar Páginas Amarelas no Quénia e acabou por ficar 21 anos

Lusa

  • 333

Lisboa, 03 mar (Lusa) -- José Saldanha é o português há mais tempo no Quénia, onde chegou há duas décadas, para ajudar a Portugal Telecom a criar as Páginas Amarelas no país dos "safaris bonitos", que vai a votos na segunda-feira.

Aos 42 anos, José Saldanha decidiu ir pelos seus dedos até ao Quénia. "Estava bem", era diretor geral da Time Sharing, mas a Portugal Telecom -- Sistemas de Informação (PT-SI) lançou-lhe o "desafio" de ir trabalhar para Nairobi, com um contrato de dois anos.

Hesitou, mas a mulher, criada em Angola, incentivou-o a partirem juntos, e com os dois filhos, na aventura africana. Corria o ano de 1992 e o "desafio" era instalar no Quénia as Páginas Amarelas -- "exatamente com o mesmo conceito" da versão portuguesa.