Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Portugal/Angola: UNITA defende continuidade das investigações sobre dirigentes angolanos

Lusa

  • 333

Luanda, 21 out (Lusa) - A União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) defendeu hoje em Luanda que os processos judiciais a decorrer em Portugal, que envolvem "atos privados, não soberanos, de governantes angolanos, não sejam arquivados" e sigam até ao fim.

A posição do maior partido da oposição angolana foi manifestada pelo seu líder, Isaías Samakuva, no que designou como "réplica" ao discurso sobre o Estado da Nação, proferido terça-feira passada pelo Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, na abertura do ano legislativo.

José Eduardo dos Santos disse no seu discurso, quando falava sobre a política externa de Angola, que "só com Portugal, as coisas não estão bem", lamentando que "as incompreensões ao nível da cúpula" fazem com que o "clima político atual reinante nessa relação, não aconselha à construção da parceria estratégica anunciada.