Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Portugal precisa de "garantia mínima de estabilidade" para não ter eleições - AIP

Lusa

  • 333

Lisboa, 05 jul (Lusa) -- O Presidente da Associação Industrial Portuguesa (AIP), José Eduardo Carvalho, afirmou hoje que Portugal está "num processo de insolvência" e que embora ninguém deseje eleições, caso não se verifique uma garantia mínima de estabilidade, "elas são inevitáveis".

Em declarações à Lusa, no final da 4.ª edição dos "Encontros da Junqueira: AIP explica como acrescentar valor de mercado à economia portuguesa", que integra um painel de 30 personalidades portuguesas, Eduardo Carvalho considerou que Portugal está numa "situação de insolvência" e que tem de "flexibilizar algumas interpretações [da Constituição] e ter uma garantia de estabilidade, pois caso se verifique que "não há condições mínimas consistentes para garantir essa estabilidade, as eleições são inevitáveis".

"A questão da confiança é algo que é extremamente difícil de se fazer, porque enquanto "o Governo (...) fala para os credores, a oposição fala para os eleitores", disse à Lusa, adiantando que "é sempre difícil quer com este governo ou com outro ultrapassar este conflito".