Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Portugal é o mais rápido a decidir no Supremo, mas dos mais lentos em 1ª. instância - OCDE

Lusa

  • 333

Lisboa, 21 jun (lusa) - Portugal surge hoje num relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) como o mais rápido a decidir os processos no Supremo - média de 90 dias -, mas, em contrapartida, tem uma das justiças mais lentas em primeira instância.

O relatório da OCDE indica que a duração média dos processos judiciais em primeira instância em Portugal é de 425 dias, uma lentidão que só é ultrapassada pela Itália (564 dias).

Eslovénia (420 dias), Eslováquia (354 dias), México (342), Holanda (305) e França (304) são outros países com uma duração mais longa dos processos em primeira instância.