Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Portugal devia apostar em "exportar" para o Quénia -- cônsul honorário

Lusa

  • 333

Lisboa, 03 mar (Lusa) -- Mais do que investir ou montar negócio, "Portugal podia olhar" para o Quénia com olhos de "exportar", defende o cônsul honorário, residente há duas décadas no país africano, que vai a votos na segunda-feira.

A embaixada de Portugal em Nairobi foi suprimida com a restruturação da rede externa diplomática e consular decidida pelo Governo e inscrita no Orçamento do Estado para 2013. Na sequência disso, José Saldanha foi convidado, no natal passado, a assumir funções de cônsul honorário.

Em entrevista à agência Lusa, de passagem por Lisboa, não escondeu "um certo orgulho" por "representar Portugal" em Nairobi, capital do Quénia.