Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Pedida ilegalidade da prova hoje produzida no "caso Nacional"

Lusa

  • 333

Funchal, 17 jun (Lusa) -- O advogado de dois dirigentes do Clube Desportivo Nacional pediu a ilegalidade da prova hoje produzida no julgamento que envolve crimes de fraude, fraude qualificada, fraude contra a Segurança Social e branqueamento de capitais.

Na sessão desta tarde, nas Varas de Competência Mista do Funchal, depois de ouvidas várias testemunhas, entre as quais o ex-secretário da Educação da Madeira Francisco Fernandes, Nuno Godinho de Matos questionou a deliberação do coletivo de juízes que determinou a produção de prova da defesa quando ainda não terminou a prova da acusação, neste caso a audição do ex-treinador do Nacional José Peseiro.

"Ao decidir assim, o tribunal expropriou os fundamentos com os quais a defesa se opunha a que a prova da defesa se iniciasse antes de concluída a acusação" e "concedeu ao Ministério Público o 'benefício de uma testemunha surpresa'", afirmou o causídico.