Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

PCP diz que execução orçamental está em "linha" com contas de 2012

Lusa

  • 333

Lisboa, 23 fev (Lusa) - O PCP considerou hoje que a execução orçamental de janeiro, que revela um aumento de 33,2% das despesas do Estado com os subsídios de desemprego, "vem na linha daquilo que foram as contas de 2012", em queda.

Em declarações à Lusa, no final da conferência de imprensa sobre "os novos projetos de austeridade e a degradação da situação económica e social do país", Jorge Pires, membro da comissão política do PCP, disse que a execução orçamental divulgada na sexta-feira "vem na linha daquilo que foram as contas de 2012, ou seja, o ano de 2013 começa exatamente como terminou 2012: em queda".

De acordo com a execução orçamental, o Estado gastou mais 33,2% em subsídios de desemprego e apoio ao emprego em janeiro deste ano em relação ao período homólogo, num total de 255,9 milhões de euros, enquanto as receitas fiscais subiram 2,4% para 2.681,7 milhões de euros.