Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Passos Coelho exclui novas medidas para 2012 e admite que défice venha a ser revisto

Lusa

  • 333

Amadora, 07 nov (Lusa) - O primeiro-ministro excluiu hoje novas medidas para 2012 e admitiu que o valor do défice para este ano venha a ser revisto, caso o Eurostat rejeite a contabilização da concessão da ANA para efeitos orçamentais.

No final de uma cerimónia na Academia Militar, na Amadora, questionado pelos jornalistas se vão ser adotadas medidas adicionais para reduzir o défice deste ano, caso isso não possa ser feito pela concessão da ANA - Aeroportos de Portugal, Pedro Passos Coelho respondeu: "Não".

O primeiro-ministro acrescentou que "a questão de 2012 é uma questão que está fechada do ponto de vista da 'troika' e do Governo português" e que "se, porventura, existir algum pronunciamento ulterior de órgãos estatísticos, nomeadamente do Eurostat, que obrigue a rever o valor do défice para este ano", essa "é uma questão que se verá na altura própria".