Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Parlamento polaco recusou classificar como genocídio matança de 100 mil em 1943

Lusa

  • 333

Varsóvia, 12 jul (Lusa) -- O parlamento polaco recusou hoje classificar como genocídio o massacre de 100 mil polacos por nacionalistas ucranianos há sete décadas, para manter boas relações com Kiev, com quem a União Europeia negoceia um acordo de comércio livre.

Entre 1942 e 1945, membros do Exército Rebelde Ucraniano (ERU) espancaram vítimas polacas até à morte e afogaram mulheres, crianças e idosos em poços na região de Wolyn, integrada agora no noroeste ucraniano.

Uma resolução especial concebida pela oposição conservadora propunha a classificação da matança como genocídio, mas o parlamento optou hoje por palavras mais cautelosas, classificando-a como "limpeza étnica caracterizada por sinais de genocídio".