Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Palmela: Schnellecke evita 'lay-off' graças às cedências remuneratórias dos 650 empregados - Trabalhadores

Lusa

  • 333

Lisboa, 23 jul (Lusa) - A Schnellecke Portugal já não vai entrar em 'lay-off' (suspensão temporária do contrato de trabalho) em agosto, depois de os trabalhadores das três empresas que compõem o grupo terem prescindido dos prémios e dos aumentos salariais em 2012.

"A Schnellecke Portugal encontrou em colaboração com as Comissões de Trabalhadores uma alternativa ao 'lay-off', conseguindo também desta forma assegurar todos os 650 postos de trabalho. Para já, a questão do 'lay-off' na Schnellecke fica suspensa", informou hoje em comunicado Fernando Oliva, diretor-geral da Schnellecke Portugal.

Esta solução, segundo revelou à agência Lusa António Costa, coordenador da Comissão de Trabalhadores da Schnellecke Logistica, que a par da Schnellecke Portugal e da Plantfield, constitui a filial da multinacional alemã em Portugal, só foi possível porque "houve cedências por parte dos trabalhadores". O responsável explicou que na Schnellecke Logistica, os trabalhadores "prescindiram do prémio por objetivos semestral de forma a reverter o 'lay-off' anunciado pela administração e que iria decorrer entre 20 e 24 de agosto".