Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ordem dos Enfermeiros critica Governo por colocar emergência pré-hospitalar na mão de técnicos não qualificados

Lusa

  • 333

Porto, 25 out (Lusa) -- A Ordem dos Enfermeiros contestou hoje o despacho do Governo relativo à emergência pré-hospitalar, considerando que a "compromete irremediavelmente" ao apostar em "técnicos de ambulância de emergência não regulados, sem a qualificação mínima exigida para prestar socorro aos cidadãos".

"Foi com estupefação e incredibilidade que a Ordem dos Enfermeiros (OE) tomou conhecimento do despacho (n.º 13794/2012) do Governo, que compromete irremediavelmente a emergência pré-hospitalar, apostando em técnicos de ambulância de emergência (TAE) não regulados, sem a qualificação mínima exigida para prestar socorro aos cidadãos", pode ler-se em comunicado enviado às redações pelo bastonário da Ordem dos Enfermeiros, Germano Couto.

Segundo a ordem, "muito do que o INEM representa hoje e da resposta diferenciada à população foi conseguido à custa do trabalho dos enfermeiros nos últimos anos" e "com este despacho o Ministério da Saúde altera, na íntegra, o paradigma assistencial da emergência pré-hospitalar em Portugal".