Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

OE2014: Cortes salariais são "transitórios" mas Governo inscreve poupança como medida permanente

Lusa

  • 333

Lisboa, 16 out (Lusa) -- O Governo diz que os cortes salariais para os rendimentos mensais a partir dos 600 euros dos trabalhadores da função pública e empresas públicas entre 2,5% e 12% são transitórios, mas inscreveu esta poupança como uma medida permanente.

Na proposta do Orçamento do Estado para 2014 entregue hoje no Parlamento, o Governo diz que no próximo ano "será aplicada uma redução remuneratória progressiva entre 2,5% e 12%, com caráter transitório" e que esta se aplica às remunerações mensais superiores a 600 euros "de todos os trabalhadores das Administrações Públicas e do Setor Empresarial do Estado, sem qualquer exceção, bem como dos titulares de cargos políticos e outros altos cargos públicos".

A ministra das Finanças garantiu também que estes cortes são transitórios, apesar de realçar que isto não quer dizer que estes serão anuais, deixando antever a intenção de vigência por um período mais longo destes cortes.