Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

OE2013: CDS avisa que medidas aplicam-se às pessoas e que versão final da proposta tem de ser melhor

Lusa

  • 333

Lisboa, 30 out (Lusa) - O CDS advertiu hoje que é preciso explicar à 'troika' que os orçamentos se aplicam às pessoas e que só se estará à altura do momento se a proposta orçamental final for melhor do que a inicial.

Estas posições foram transmitidas pelo deputado democrata-cristão João Almeida após a intervenção do ministro de Estado e das Finanças, Vítor Gaspar, no debate na generalidade da proposta de Orçamento do Estado para 2013.

O dirigente do CDS afastou-se das teses favoráveis aos modelos económicos de caráter determinista, defendendo (tal como fizera o líder do seu partido, Paulo Portas) que Portugal deve ter uma atuação "pró-ativa" e, como tal, "é preciso explicar à 'troika' (Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional e Comissão Europeia) que o Orçamento é para se aplicar às pessoas".