Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Observatório acusa Ministério de não avaliar efeitos da crise na saúde nos cidadãos

Lusa

  • 333

Lisboa, 18 jun (Lusa) - O Observatório Português dos Sistemas de Saúde acusa o Ministério de ainda não ter feito um diagnóstico oficial aos efeitos da crise na saúde dos portugueses, num relatório que elogia a capacidade de Paulo Macedo "gerir os recursos disponíveis".

No Relatório Primavera 2013, que será hoje apresentado em Lisboa, o Observatório procura "mostrar a situação que se vive neste momento de grave crise", analisando, entre outros dados, as medidas que foram introduzidas com o Orçamento de Estado para 2012, nomeadamente ao nível dos impostos e da Segurança Social, que resultaram na "redução do poder de compra".

Intitulado "Duas faces da saúde", o documento apresenta os dois mundos que os autores afirmam existir: O "oficial, dos poderes", em que "as coisas vão mais ou menos bem, previsivelmente melhorando a curto prazo, malgrado os cortes orçamentais superiores ao exigido pela troika e a ausência de estratégia de resposta às consequências da crise na saúde da população" e o "da experiência real das pessoas".