Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Multinacional Stena Oil acusa São Tomé e Príncipe de vender ilegalmente crude de petroleiro apreendido

Lusa

  • 333

Redação, 22 out (Lusa) -- A multinacional sueca que contratou o petroleiro retido em São Tomé, acusa o Governo de ter vendido o crude que se encontrava no navio e tece duras críticas à justiça são-tomense, por ter impedido um "processo justo".

As cerca de oito mil toneladas de crude que se encontravam a bordo do navio "Duzigit Integrity"- avaliadas em 5,5 milhões de euros -- já foram "vendidas ilegalmente" pelo Estado são-tomense à uma empresa dinamarquesa, disse hoje à agência Lusa fonte da multinacional Stena Oil.

O "Duzgit Integrity" foi apreendido -- juntamente com outro navio, entretanto libertado - pela guarda costeira são-tomense a 15 de março devido a alegadas "atividades ilegais" em águas territoriais de São Tomé, tendo o petroleiro e a sua carga sido confiscados.