Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ministro apela a que intervenientes na proteção civil deixem egoísmos e interesses corporativos

Lusa

  • 333

Lisboa, 10 dez (Lusa) - O ministro da Administração Interna (MAI) apelou hoje a todos os intervenientes na proteção civil para deixarem de lado os "interesses egoístas", "corporativos ou locais" e para colaborem nas reformas e nas alterações consideradas urgentes pela tutela.

"Precisamos de fazer, para bem de todos, ajustamentos na quadrícula dos equipamentos e das estruturas, para os aproximar dos riscos que temos de prevenir e que temos de cobrir quando acontecem", afirmou Miguel Macedo, durante o discurso de tomada de posse do novo comandante operacional nacional da proteção civil.

Isso significa, segundo o MAI, que Governo, Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) e estruturas representativas dos corpos de bombeiros tenham disponibilidade e abertura de espírito, deixando de lado aquilo que são, muitas vezes, "interesses egoístas" ou "puramente corporativos ou locais", na discussão séria deste assunto.