Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ministério aplica descontos salariais ilegais pela greve às avaliações - Fenprof

Lusa

  • 333

Lisboa, 20 jun (Lusa) -- A Fenprof acusou hoje o Ministério da Educação de ter dado "orientações ilegais" às escolas para descontarem nos ordenados dos professores que fazem greve às reuniões das avaliações o equivalente a um dia inteiro de salário.

"A Fenprof apresentará queixa nos tribunais e na PGR [Procuradoria-Geral da República] caso o MEC [Ministério da Educação e Ciência] não altere a orientação que deu às escolas, bem como a aplicação informática em que as escolas lançam o salário dos professores", ameaça a estrutura sindical dos professores, em comunicado.

De acordo com a Fenprof, é ilegal descontar aos docentes um dia inteiro de ordenado quando, não tendo qualquer outra atividade nesse dia, estes apenas faltam às reuniões dos conselhos de turma.