Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Metais/furtos: Maiores vítimas associam-se para se defenderem de assaltos

Lusa

  • 333

Bragança, 30 set (Lusa) -- Um grupo de grandes empresas nacionais ligadas a setores como as comunicações e eletricidade fundou uma associação para se defender dos furtos de metais depois de contabilizarem 40 milhões de euros de prejuízos em apenas um ano.

A EDP, REN, REFER, EPAL, PT e EDP renováveis estão entre as maiores vítimas deste tipo de crime que tem aumentado desde há três anos em Portugal, mediatizado pelos chamados "ladrões de cobre" mas já disseminado a tudo que tenha metal, desde elementos decorativos de cemitérios a tampas de esgotos, grelhas, proteções metálicas das estradas, estátuas até carrinhos de supermercados.

As seis empresas fundaram a associação Promoção da Segurança dos Ativos Técnicos (PSAT) com o principal objetivo de estabelecer uma parceria ativa com as forças de segurança de modo a melhorar os mecanismos de defesa das infraestruturas dos seus associados contra o furto de metais.