Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Mesa da AG diz que não lhe cabe avaliar justa causa, apenas dar a palavra aos sócios

Lusa

  • 333

Lisboa, 31 jan (Lusa) -- A Mesa da Assembleia Geral (MAG) do Sporting assumiu hoje o entendimento de que não lhe cabe avaliar da existência de justa causa para convocar a Assembleia Geral (AG) extraordinária, mas assegurar o direito dos sócios serem ouvidos.

"O presidente da Mesa da AG não deve entrar no mérito do requerimento. Não é esse o seu papel. A norma que existe nos estatutos é a que permite dar voz aos sócios e que existe no código civil. Não devemos coartar o direito dos sócios se pronunciarem sobre os destinos do clube", disse o secretário da MAG, João Sampaio, quando questionado sobre a existência de justa causa que fundamente decisão daquele órgão para convocar a reunião magna.

De resto, para João Sampaio, o facto de a MAG ter convocado a AG não significa que a mesma "concorde ou discorde dos fundamentos" expostos no requerimento avançado pelo movimento "Dar Rumo ao Sporting" e que está na origem da convocatória da AG para a destituição do Conselho Diretivo (CD) marcada para 09 de fevereiro.