Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Médicos do curso de Medicina no Algarve ameaçam demissão se reitor não recuar

Lusa

  • 333

Faro, 21 out (Lusa) -- Todos os médicos de família que lecionam no Mestrado Integrado em Medicina da Universidade do Algarve e uma grande parte dos médicos do Hospital de Faro vão apresentar demissão caso o reitor não recue na "cláusula da discórdia".

"Caso o reitor não recue, todos os médicos de família que lecionam no curso e pelo menos uma grande parte dos médicos do Hospital [de Faro] apresentarão a sua demissão em solidariedade com a posição da direção", disse hoje à Lusa Filipe Gomes, médico interno de Radiologia no Hospital de Faro e assistente convidado no Mestrado Integrado em Medicina da Universidade do Algarve (MIM da UAlg ou curso de Medicina do Algarve).

A direção do curso de Medicina do Algarve anunciou a demissão em bloco na sexta-feira passada, dia 17, por causa de um novo protocolo que a UAlg tem de fazer, devido à recente criação do Centro Hospitalar do Algarve (CHA), que junta os hospitais de Faro, Portimão e Lagos.